Skip to content

Datafolha retrocede, mas não desiste

July 26, 2010

A dança de números apresentada neste fim de semana pelos institutos Vox Populi e Datafolha pode parecer incoerente à primeira vista. Mas só à primeira vista.

Na sexta, 23 de julho, o Vox Populi mostra Dilma Rousseff com 41% das intenções de voto, contra 33% de José Serra – um ponto percentual a mais para Dilma em relação à pesquisa feita anteriormente pelo mesmo instituto, no final de junho. Na sondagem espontânea, Dilma ficou com 28%, e Serra 21%.

Já no sábado, 24 de julho, a Folha de S. Paulo publica pesquisa do seu instituto, o  Datafolha, que dá ao tucano 37% dos votos e a Dilma um ponto percentual a menos, 36%. Na pesquisa espontânea, Dilma ficaria à frente de Serra com 21% dos votos, contra 16% do candidato do PSDB.

Incoerência? Nem um pouco.

Fora da oligarquia midiática, blogs independentes como o Tijolaço, o Blog da Cidadania, o Portal Luis Nassif e o Conversa Afiada revelam o que há por trás das pesquisas de opinião do Datafolha. Aliás, opinião de quem, mesmo??


Do Blog da Cidadania:
Por Eduardo Guimarães, em 24 de julho

Entenda o Datafolha

“É claro que, em comparação com a pesquisa Vox Populi (…), o Datafolha não é tão bom para Dilma nem tão ruim para Serra. Todavia, se compararmos o que vinha sendo feito pelo instituto de pesquisas da família Frias antes de a procuradoria-geral eleitoral acolher a representação do Movimento dos Sem Mídia pedindo investigação dos quatro grandes institutos (Datafolha, Ibope, Sensus e Vox Populi), chegaremos à conclusão de que a suposta manipulação de dados do Datafolha refluiu, e muito.

Em dezembro do ano passado, a vantagem que o Datafolha atribuía a Serra em relação a Dilma era de 14 pontos percentuais. Em fevereiro, a vantagem caiu para 7 p.p. Eis que, em março, quando o Vox Populi e o Sensus já atribuíam empate técnico entre Dilma e Serra, o Datafolha joga a diferença a favor do tucano para 10 p.p. Em abril, o mesmo Datafolha aumenta essa vantagem ainda mais, agora para 12 p.p. (!!!)

No começo de maio, a procuradoria-geral eleitoral aceita a representação do Movimento dos Sem Mídia e emite um despacho à Polícia Federal para que esta instaure inquérito para apurar possível crime eleitoral de falsificação de pesquisas. A investigação abrange os institutos Datafolha, Ibope, Sensus e Vox Populi.

Em 35 dias, no Datafolha, some uma vantagem de Serra sobre Dilma de DOZE PONTOS PERCENTUAIS. Em 21 de maio, a pesquisa Datafolha conclui que aquela estrondosa diferença caiu a… ZERO (!).
(…)

E a diferença do Datafolha a favor de Serra continua a zero desde a representação do MSM, pois o único ponto percentual a favor do tucano, nas duas pesquisas do instituto em julho, ficou dentro da margem de erro de dois pontos percentuais.

(…)O que essa gente não entendeu, é o seguinte: eles podem fazer quantas pesquisas quiserem, quantas notícias de jornal quiserem, quantos programas de televisão quiserem. Podem tentar criar climas eleitorais artificiais à vontade. No fim, porém, prevalecerá o princípio máximo da democracia, o de que a cada cidadão só cabe o próprio voto, e o de que na cabine indevassável, naquela hora do cidadão com a sua consciência, quem tem o poder é o povo.”


Do Portal Luis Nassif:
Por Luis Nassif, em 25 de julho

Decifrando o Datafolha

“Conversei agora há pouco com Marcos Coimbra, do Vox Populi, para entender as discrepâncias entre os dados do Vox e do Datafolha e tirar as dúvidas finais sobre o tema.

A explicação é claríssima.

Dentre os diversos cortes a serem feitos no universo dos entrevistados, um deles é entre os com telefone e os sem telefone.

No caso do Vox Populi, as pesquisas pegam todo o universo de eleitores. No caso do Datafolha, há um filtro: só se aceitam entrevistados que tenham ou telefone fixo ou celular.

Há algumas razões de ordem metodológica por trás dessa diferença.

A pesquisa consiste de duas etapas. Na primeira, os entrevistadores preenchem os questionários com os entrevistados. Na segunda, há um trabalho de checagem em campo, para conferir se o pesquisador trabalhou direito.

No caso Vox Populi, o entrevistador vai até à casa do entrevistado. A checagem é simples. Sorteia-se uma quantidade xis de casas pesquisadas e o fiscal vai até lá, conferir se o entrevistado existe, se as respostas são corretas.”


Do Conversa Afiada:
Por Paulo Henrique Amorim, em 27 de julho

Se o método do Datafalha ajudasse a Dilma já teria mudado

“O Datafalha desempenhou papel central na desqualificação do Aécio e, agora, na luta pela sobrevivência do Serra.

Como diz aquele amigo navegante, o Serra sobrevive com aparelhos mediáticos.

Os indícios de que o Datafalha seja um instrumento partidário, político e, não, um instituto de pesquisa são vários – e mereciam uma atenção especial da Dra Cureau.

Primeiro, entre a noite de sexta-feira, quando Jornal da Band divulgou o Vox Populi e a manhã de sábado, quando começou a circular a Folha (*), sumiram 18 milhões de votos.

Dez por cento da população brasileira.

Segundo, como demonstrou o Tijolaço, tecnicamente o Datafalha é um desastre.

E, mesmo assim, observou o Eduardo Guimarães, a Folha (*), provavelmente pressionada por uma possível investigação policial, já começou a encolher o Serra.

Daqui a pouco, quando a coisa ficar feia, surgirão os “pesquiseiros” – os analistas de pesquisa do PiG (**) para passar a mão na cabeça da Folha (*).

E vão dizer que a Folha (*) usava um método errado de sondar a opinião pública.

O desastre teria sido uma “questão de método”.

Uma questão técnica, portanto.

Cientifica, sem qualquer inclinação partidária ou ideológica, diria o Adolf Eichman.

Se for assim, pergunta-se:

E se o método (errado) sistematicamente beneficiasse a Dilma e o Lula ?

Se o método (errado) tivesse demonstrado que o Aécio deveria ser o candidato dos tucanos ?

Pergunta-se: o método já não teria sido corrigido ?

O Serra deixaria o Datafolha errar por tanto tempo contra ele ?

A Folha (*) erraria por tanto tempo contra seus próprios interesses econômicos e ideológicos ?

O “método” da Folha é assim: ouve mais São Paulo, ouve mais os ricos, ouve mais os de educação superior.

O “método” da Folha é assim: Vox Populi menos o povo é igual ao Datafalha.

Advertisements
No comments yet

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: